Coordenado pela professora Eritânia Rangel, o Projeto de Recolhimento de Medicamentos Vencidos da FJN vem contribuindo para educação das pessoas sobre o destino adequado desse tipo de resíduo. O projeto começou há mais de três anos e busca sensibilizar a comunidade acadêmica e a comunidade local dos problemas que podem acontecer caso o medicamento seja jogado no lixo comum. A atividade que mais se destaca no projeto é a maratona de recolhimento de medicamentos vencidos. Nessa atividade são formadas equipes de alunos que devem buscar nas casas vizinhas da FJN medicamentos que estejam vencidos. De acordo com a professora Eritânia, na última edição foram coletadas mais de 270 kgs de medicamentos. Desde o início do projeto foram mais de 3000 kgs de medicamentos descartados de maneira adequada.  A Faculdade de Juazeiro do Norte tem patrocinado a incineração dos medicamentos desde então.

A Agenda 2030 (http://www.agenda2030.com.br) foi adotada por 193 países-membros das Nações Unidas (https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/), inclusive o Brasil (http://www.estrategiaods.org.br/), na Cúpula de Desenvolvimento Sustentável, em setembro de 2015. Ela foi pensada para a construção de um caminho mais sustentável e resiliente para o mundo. A agenda envolve 17 objetivos com 169 metas. Esses objetivos são integrados e indivisíveis, e mesclam, de forma equilibrada, as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental.

O Projeto de Recolhimento de Medicamentos Vencidos da FJN está alinhado com o 12º Objetivo – Consumo e Produção Responsáveis, na medida que contribui para fazer as pessoas pensar sobre o manejo correto de produtos químicos ao longo de todo o ciclo de vida, buscando minimizar os impactos negativos para a saúde humana e do meio ambiente. O professor Alberto Malta Junior, coordenador do curso de Farmácia, menciona que o fato da existência da Agenda 2030 justifica mais ainda a execução do projeto na FJN de maneira permanente.