Segurança no Trabalho

Duração: 3 anos – Regime semestral – 6 semestres

Mensalidade: R$ 645,54 (Seiscentos e quarenta e cinco reais e cinquenta e quatro centavos)

Os tecnólogos em Segurança no Trabalho são profissionais de nível superior responsáveis, entre outras atribuições, por inspecionar instalações físicas e equipamentos de uma empresa para verificar se está tudo de acordo com as normas e leis brasileiras de segurança.
A atuação de um tecnólogo nessa área é fundamental para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. E a fórmula aqui é simples: ao investir em um bom profissional da Segurança no Trabalho, a empresa garante a integridade do trabalhador e, com menos ausências e afastamentos, aumenta sua produtividade.
As oportunidades podem ser encontradas em hospitais, indústrias, comércio, empresas de construção civil, instituições de ensino, portos, aeroportos e consultorias – nem é preciso usar tanto a imaginação para descobrir em quantas áreas o tecnólogo em Segurança no Trabalho pode atuar.

Os tecnólogos em Segurança no Trabalho são profissionais de nível superior responsáveis, entre outras atribuições, por inspecionar instalações físicas e equipamentos de uma empresa para verificar se está tudo de acordo com as normas e leis brasileiras de segurança.
A atuação de um tecnólogo nessa área é fundamental para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. E a fórmula aqui é simples: ao investir em um bom profissional da Segurança no Trabalho, a empresa garante a integridade do trabalhador e, com menos ausências e afastamentos, aumenta sua produtividade.
As oportunidades podem ser encontradas em hospitais, indústrias, comércio, empresas de construção civil, instituições de ensino, portos, aeroportos e consultorias – nem é preciso usar tanto a imaginação para descobrir em quantas áreas o tecnólogo em Segurança no Trabalho pode atuar.

O profissional egresso do curso de Tecnologia em Segurança no Trabalho é capacitado para atuar na prevenção de acidentes, no desenvolvimento de projetos na área de segurança no trabalho, bem como habilitado a tratar de questões de segurança e saúde dos trabalhadores nas mais diversas áreas, como indústrias, empresas de serviços em geral, comércio, estabelecimentos de saúde e outras instituições.
O profissional será capaz de compor equipes multidisciplinares de trabalho dentro das instituições, utilizando suas habilidades e competências para elaborar e gerenciar programas de segurança, analisar e decidir sobre a melhoria da empresa, especialmente nas áreas de segurança e saúde do trabalhador.

Com base no exposto, os egressos do Curso Superior de Tecnologia em Segurança no Trabalho da FJN estarão aptos a:
I. Elaborar, implantar, acompanhar, implementar e gerenciar programas de Segurança e Saúde do Trabalho;
II. Trabalhar em equipes multidisciplinares;
III. Avaliar e analisar riscos ambientais;
IV. Realizar estudos e diagnósticos;
V. Estabelecer metas, cronogramas e procedimentos de avaliação de programas e projetos;
VI. Elaborar laudos e pareceres técnicos;
VII. Verificar a necessidade de implantação de programas oficiais e obrigatórios de Segurança e Saúde do Trabalho;
VIII. Formular estratégias para a implantação de programas de gestão integrada em Saúde e Segurança no Trabalho, Qualidade e Meio Ambiente;
IX. Estabelecer ações de eliminação e/ou controle de perdas;
X. Realizar auditorias e elaborar relatórios em Segurança e Saúde do Trabalho;
XI. Programar, implementar e ministrar atividades educativas e técnico-administrativas, conforme referenciais pedagógicos, Normas Regulamentadoras e Políticas de Segurança e Saúde no Trabalho, Convenções da OIT e regulamentos Ambientais.

Portaria autorizada CEPEG 012/2016 de 29 de junho de 2016.

Número de vagas: 50
Titulação: Tecnólogo em Segurança no Trabalho.
Duração: 3 anos – Regime semestral – 6 semestres
Turno: Noturno

Créditos Matriculados
Mensalidade - R$ 645,54 (Seiscentos e quarenta e cinco reais e cinquenta e quatro centavos)
Semestralidade - R$ 3.873,24 (Três mil, oitocentos e setenta e três reais e vinte e quatro centavos) dividido em 6 vezes.
A forma de reajuste vigente é baseada na variação do IGP-W / FGV.